quarta-feira, 30 de abril de 2008

Mobilização DENGUE RJ

Estamos marcando para esse feriado do dia 1 de Maio um operativo no bairro em que atuamos, o Cachambi, no Rio com panfletagem, coleta de opiniões e para chamar gente pro Humanismo. Além dessa imagem, surgiu a idéia de pedir que pessoas que conhecemos em outros estados e pessoas que não possam estar "de corpo presente" no operativo dia 1 de Maio possam fazer uma mobilização virtual sobre o tema.
 
A idéia é:
a) que as pessoas troquem suas fotos no orkut, no MSN, etc. por uma das montagem em anexo.
b) que as pessoas troquem seu perfil no orkut e em outros sites de relacionamento por:
DENGUE/RJ - QUEREMOS RESPONSABILIDADE POLÍTICA JÁ!
c) que as pessoas mandem e-mails para todos os seus contatos com uma carta manifesto que estamos elaborando no mesmo dia.
 
É uma atividade pontual, mas quem quiser se somar será super bem-vindo!

Para quem mora no rio, estaremos na praça do McDonalds a partir de 10h do dia 1/5, no inpicio da dias da cruz no méier e faremos o operativo na área de lazer do Méier. Contato - (021) 9230.6814

Abertas inscrições para o I Fórum de Mídia Livre

 
Estão abertas as inscrições para o I Fórum de Mídia Livre, que ocorrerá no Rio de Janeiro, dias 14 e 15 de junho, e reunirá participantes de todo o País. O evento é parte de uma ampla mobilização de jornalistas, acadêmicos, estudantes e ativistas e demais interessados pela democratização da comunicação, em defesa da diversidade informativa, do trabalho de colaboração nos novos meios e sua expansão, bem como da garantia de amplo direito à comunicação.

A mobilização começou em uma reunião em São Paulo envolvendo 42 jornalistas, estudantes, professores ou pessoas atuantes na área das comunicações, de diferentes regiões do Brasil, e teve prosseguimento em reunião em Porto Alegre, com a presença de 49 pessoas, e na ABI, no Rio de Janeiro, com 32 presentes. A partir destes encontros já foram realizadas reuniões em Belém, Fortaleza, Recife e Aracaju. Clique aqui para saber quais são os ativistas e entidades que participam desta iniciativa, conforme os relatos dos pré-encontros.

Entre as principais questões levantadas, os presentes discutiram o avanço do movimento de comunicação da mídia livre em todo o País, de maneira que seja obtida a garantia junto ao poder público de espaços para os veículos da mídia livre nas TVs e nas rádios públicas, a regulação da distribuição das verbas publicitárias públicas em nosso País e o avanço das microestruturas globais mediáticas, assimétricas, improvisadas, parcialmente caóticas e autônomas, como as redes digitais, as migrações, os coletivos e as ocupações urbanas, bem como de agregadores da diversidade da mídia e dos que a fazem.

O setor de comunicação, segundo o manifesto em construção disponível no site do Fórum de Mídia Livre, "não reflete os avanços que ao longo dos últimos trinta anos a sociedade brasileira garantiu em outras áreas. Isso impede que o país cresça democraticamente e se torne socialmente mais justo". E continua: "A democracia brasileira precisa de maior diversidade informativa e de amplo direito à comunicação. Para que isso se torne realidade, é necessário modificar a lógica que impera no setor e que privilegia os interesses dos grandes grupos econômicos (...)".

No Rio de Janeiro está sendo levantada e discutida com intensidade a questão de uma economia psíquica da comunicação que dê conta dos agenciamentos internos, psíquicos (pensamentos, perceptos e afetos), dos jornalistas e dos comunicadores, de maneira a que ajam como comunicadores-cidadãos, portanto de maneira inovadora, de fato livre -sem repetir valores que contestam a nível macro-político- e assim produzam ambientes agregadores (diferentes-juntos) na diversidade da mídia tradicional, da mídia contra-hegemônica e da cultura digital.

Outra questão importante é a da mídia contra-hegemônica e a potencialização da difusão mundial das formas de sentir, pensar e agir dos segmentos economicamente excluídos, das comunidades culturalmente marginalizadas ou dos grupos politicamente segregados. O Fórum também se propõe a debater novas perspectivas de comunicação, mais plurais e democráticas. Assim, temas como Creative Commons, Web 2.0 e novas mídias também ganharão destaque nos debates e atividades do evento.

Segundo o documento esboçado na reunião de São Paulo, o objetivo da democratização das verbas públicas visa que "as verbas de publicidade e propaganda sejam distribuídas levando em consideração toda a ampla gama de veículos de informação e a diversidade de sua natureza; que os critérios de distribuição sejam mais amplos, públicos e justos, para além da lógica do mercado; e que ao mesmo tempo o poder público garanta espaços para os veículos da mídia livre nas TVs e nas rádios públicas, nas suas sinopses e meios semelhantes". O documento está disponível no site do evento (http://forumdemidialivre.blogspot.com/).

De forma sincrônica ao evento no Rio de Janeiro, o movimento social de comunicação já está se mobilizando em sete cidades: Porto Alegre, São Paulo, Belém, Fortaleza, Recife, Aracaju e no próprio Rio de Janeiro. Todos os relatos já estão disponíveis no site. O próprio evento é um importante passo na discussão e deliberação sobre os rumos do movimento social de comunicação.

Programação - O I Fórum de Mídia Livre acontecerá dias 14 e 15 de junho de 2008 (sábado e domingo), das 9h às 17h (com pausas entre os debates e grupos de trabalho). Será realizado no campus da UFRJ da Praia Vermelha, no Auditório Pedro Calmon do Fórum de Ciência e Cultura (FCC) e salas anexas. Endereço: Avenida Pasteur, 250 – Praia Vermelha. O Auditório Pedro Calmon fica no segundo andar do FCC. Confira em breve no site do evento a programação completa do evento.

Inscrições - A participação no I Fórum de Mídia Livre é aberta e a inscrição é obrigatória. Os participantes podem também se informar sobre os pré-encontros em suas respectivas cidades. O custo individual da inscrição é de R$15 (quinze reais) para o público em geral e R$5 (cinco reais) para estudantes, pagos no dia do evento, junto à secretaria executiva do evento. A secretaria executiva emitirá um certificado de participação para os que compareceram nos dois dias de evento.

A inscrição no I Fórum de Mídia Livre não garante, por ora, o transporte, estadia e alimentação dos inscritos, que no entanto estão sendo negociados. Inscreva-se já e participe dos debates: http://forumdemidialivre.blogspot.com/

terça-feira, 29 de abril de 2008

Circular para as Estaduais do PH sobre o Dia do Trabalho

São Paulo, 29 de Abril de 2008.
 
No dia 1º de Maio incentivamos que as comissões estaduais do PH realizem atividade de recolhimento de assinaturas para legalização do partido e distribuição de folheto com nosso posicionamento.

Aqui em SP faremos a concentração na Pça Campo de Bagatele (Santana) próximo ao metrô Carandiru, na próxima quinta, 1 de maio, a partir das 9h. O ponto de encontro será no final da praça, em direção oposta ao palco.
 
Também haverá outro grupo que estará participando do Ato da Praça da Sé, a partir das 10hs.
 
Convocamos a todos os militantes para participar da atividade e levar apoiadores para fortalecer a atividade. A intenção é recolher pelo menos 10 mil assinaturas.
 
Comissão Nacional PH

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Fotos da 1ª Transmissão de SILO

Fotos da primeira transmissão de SILO realizada no Parque Caucaia no dia 26 de abril.
 
Para aumentar o tamanho basta clicar na foto.

OAB lança Movimento contra a Violência

A Ordem dos Advogados do Brasil, Secção de São Paulo, nos para participar do lançamento oficial do movimento BRASIL CONTRA A VIOLÊNCIA e da CONFERÊNCIA DA SUPERAÇÃO DA VIOLÊNCIA E DA PROMOÇÃO DA CULTURA DA PAZ, no próximo dia 29 de abril, às 10 horas, no Salão Nobre da OAB, Praça da Sé, 385, São Paulo, Capital.

Os participantes da primeira reunião decidiram ainda, por consenso, recomendar ao Congresso Nacional que não adote medidas com base na comoção social, "as quais, a pretexto de combate à violência ou a escalada da criminalidade, possam redundar num Estado policial", no dizer do presidente nacional da OAB. Os participantes do encontro temem que medidas tomadas "açodadamente", como redução da maioridade penal de 18 par 16 anos e outras destinadas a aumentar a repressão a menores infratores ou ao sistema de penas em geral, não resolvam a crise de insegurança no país e instaurem um ambiente de "vingança" entre a sociedade brasileira.

II REvIRADA Cultural da USP - Um ano da Ocupação da Reitoria

 

II REvIRADA Cultural da USP –
01 a 04 de Maio de 2008
 

Na Virada Cultural do ano passado, nós, estudantes da USP, completávamos o terceiro dia de ocupação do prédio da reitoria. Lutávamos, primeiramente, pela derrubada dos decretos do governador José Serra, assinados nos primeiros dias de seu mandato, e que significavam um ataque direto à autonomia das universidades estaduais paulistas.

Desde o início, entendemos que essa não era uma luta isolada. Ao contrário, somava-se às reivindicações históricas do movimento estudantil e sindical por uma educação pública, de qualidade, acesso a todos e, principalmente, a serviço do povo. E foi com base nesses princípios que permanecemos 51 dias ocupados, organizados de forma coletiva através de assembléias, reuniões e comissões.

Uma das comissões criadas durante a ocupação – a Comissão de Cultura – foi encarregada de organizar atividades político-culturais, artísticas e, por que não, lúdicas. Seu objetivo era propor ao movimento estudantil uma dinâmica que incorporasse a arte como outro ponto-de-partida para a reflexão e debate.

Daí surgiu a I Revirada Cultural, uma intervenção de grupos de teatro, músicos e poetas, que se deu no espaço da reitoria ocupada, durante a Virada oficial, e foi capaz de revelar o potencial do movimento que ali se fazia presente.

Um ano depois, enquanto sociólogos e cientistas políticos ainda tentam explicar o que foi a ocupação da reitoria da USP e as outras que dali surgiram pelo país, nós vemos a necessidade de celebrar o 3 de maio, dia em que entramos na reitoria, como um dia permanente de luta pela educação.

Por isso, convidamos toda a população a participar da II REvIRADA Cultural, que se realizará entre os dias 1º a 4 de maio no CANIL _ Espaço Fluxus de Cultura (espaço autônomo dos estudantes, dedicado à produção cultural, que completa dois anos de ocupação no dia 4), localizado ao lado da Escola de Comunicação e Arte da Universidade de São Paulo. Segue em anexo a programação com as atividades.

Contato permanente: http://reviradaculturaldausp.blogspot.com/

 

sexta-feira, 25 de abril de 2008

ATO 1º de maio é na Sé - SP

1º de maio
Dia de luta
Emprego, moradia, terra e direitos sociais
40 anos de luta – 1968 a 2008  
Contra as reformas do governo Lula
Emprego e salário digno para todos
Reforma agrária e urbana
Solidariedade às lutas dos povos na Palestina, Iraque e Haiti 
ATO PÚBLICO NA PRAÇA DA SÉ 
DIA 1º de MAIO às 10:00 h 
SÃO PAULO – SP
Emprego, moradia, terra e direitos sociais 
 
            A população continua vivendo sob precárias condições. A manutenção de um modelo econômico que privilegia o pagamento de juros aos bancos e especuladores impede a realização de investimentos nas áreas sociais. O serviço público – saúde, educação, moradia, transporte, saneamento – permanece sendo desmontado, com prejuízo aos servidores e à grande maioria da população.
            Também no governo Lula, não houve medidas efetivas para reverter o quadro de barbárie social. O lucro dos bancos e dos grandes monopólios demonstra, de fato, quem são os beneficiários do modelo econômico. A reforma agrária tão necessária regride com o avanço do agronegócio. A ausência de moradia popular deixa milhares de pessoas sem teto. Os direitos do povo são retirados, seja por meio de reformas, seja por meio de Medidas Provisórias, ou mesmo através das terceirizações. Os recursos naturais são exauridos com a ganância do grande capital. Basta ver o que acontece na Amazônia ou no Vale do Ribeira, com a construção de barragens que agridem o meio ambiente.
            No plano estadual, Serra e Kassab preparam privatizações, além de atacar os serviços públicos e responsabilizar os servidores pela falência de seus governos.
            Apesar disso, os lutadores sociais resistem. Os sem-teto realizam importantes jornadas em defesa da moradia popular. Os sem-terra continuam na luta por reforma agrária e contra as multinacionais. Os metalúrgicos da GM rejeitaram a redução de direitos e os servidores estão lutando contra os ataques do governo. Os movimentos sociais lutam pela tarifa social de energia e muitos setores estão contra a transposição do Rio São Francisco. A juventude continua mobilizada contra as políticas privatistas na educação.
            Não é só no Brasil que os trabalhadores lutam. Os povos do Iraque, na Palestina, no Haiti, entre outros, lutam contra tropas de ocupação a serviço do grande capital. Na Europa, ressurgem movimentos grevistas. Em vários lugares, o povo recusa os Tratados de Livre Comércio que só visam aumentar os lucros dos capitalistas. Na América Latina, a luta dos povos reafirma a soberania nacional.  
1º de maio não é dia de festas ou sorteios  
            A Força Sindical e a CUT, ao invés de lutarem, vão realizar shows e sorteios no 1º de maio. Esses shows são financiados por grandes empresas, bancos e estatais, as mesmas que exploram os trabalhadores. Farão atos festivos para apoiar o governo e tentar enganar o povo.
1º de maio é dia de luta 
            Esse ano completará 40 anos do histórico 1º de maio de 1968.
            Os governos e os poderosos não admitem a luta do nosso povo em defesa de melhores condições de vida. Os movimentos que lutam organizadamente são tratados como criminosos. Cresce a repressão sobre os movimentos sociais.
            Ainda assim, sabemos que só a luta muda a vida para defender uma vida digna, moradia decente para todos, reforma agrária e mudanças reais na economia para construir um Brasil que dê perspectivas de vida para nossa juventude.
            Nosso 1º de maio na Sé vai levantar alto nossas reivindicações. Além de resistir aos ataques e defender nossos direitos, vamos reafirmar a luta pela construção de uma sociedade justa, livre, igualitária, solidária, socialista e humanista.  
 

Conferência Nacional de Juventude - Propostas que serão discutidas

 

Organização divulga caderno de propostas

24/04/2008 15:24
 
A Organização da 1a Conferência Nacional de Juventude divulga o Caderno de Propostas. O documento condensa mais de 4.500 sugestões elaboradas nas etapas estaduais e conferências livres em 480 proposições-síntese organizadas em 16 temas. 

O caderno é o resultado da fase preparatória do processo da Conferência e será a base das discussões do momento nacional, que começa neste domingo (27/4) em Brasília.

Baixe o caderno aqui.

 

 

Fonte: http://www.juventude.gov.br/e-fato/organizacao-propostas-que-serao-discutidas-na-conferencia/

 

__._,_.___

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Não-violência e Novo Humanismo

Neste sábado 26 de abril, no Parque Caucaia (Cotia-SP), estaremos transmitindo as palavras de Silo desde o Parque histórico Punta de Vacas - Mendoza - Argentina

Estas jornadas acontecerão todos os últimos sábados do mês deste ano 2008.


Neste comunicado anexamos o Link em Youtube para poder assistir ao Spot , que é uma síntese do que será exposto na ocasião



Palavras de Silo no Spot

O Humanismo

 

Os humanistas são internacionalistas.

 

Aspiram a uma Nação Humana Universal.

 

Não desejam um mundo uniforme, senão múltiplo.

 

Múltiplo nas etnias, línguas e costumes.

 

Múltiplo nas crenças, em ateísmo e em religiosidade.

 

Os Humanistas não querem amos.

 

Não querem dirigentes nem chefes.

 

Nem se sentem representantes nem chefes de ninguém.

 

O mundo, mais que em outros momentos, está necessitando do Humanismo.

 

 

Ação Humanista

 

Quero destacar a necessidade de ação humanista

 

porque acontece que os acontecimentos estão marcando um transbordamento

 

da violência em todos os campos

 

e uma deterioração de toda referência

 

nos indivíduos e nos povos,

 

que o Humanismo Universalista

 

tem hoje a possibilidade

 

de criar consciência

 

e ação não violenta

 

e constituir-se em referência

 

para amplos setores da população mundial.

 

  

Esclarecimento e Ação Reflexiva

 

 

É forçoso compreender o sentido da ação

 

e não aceitar o conjunto supérfluo de ordens vazias que povoam os meios de difusão.

 

Aceleração e Reação

 

As populações vão sentindo a frustração do futuro

 

e desconfiam cada vez mais de toda proposta que vá mais além do imediatismo.

 

Tudo isso vai acompanhado da dissolução de estruturas que até pouco tempo eram referenciais.

 

Documento Humanista

 

 

Mas entre as aspirações humanistas e as realidades do mundo de hoje

 

levantou-se um muro.

 

É chegado o momento, pois, de derrubá-lo.

 

Para isso é necessária a união

 

de todos os humanistas do mundo.

 

 

 Silo , abril de 2008


Vídeo em alta resolução   http://www.megaupload.com/?d=VCDKKLNX


quarta-feira, 23 de abril de 2008

Spot do SILO em Português

Vídeo do SILO com duração de 5 minutos em Português.
 
 
É uma prévia do que será transmitido nos dias 26 e 27 de Janeiro em Caucaia.

__,_._,___

Cartaz do Seminário sobre Democracia participativa

Dia 25/04

Seminário " A Democracia Participativa pela Democracia Participativa" – Os movimentos sociais na construção da Constituição de 1988
Realização: Fóruns Estaduais e Municipal DCA, CMP, Comissão Permanente dos Conselhos Tutelares da cidade de São Paulo, Associação dos moradores do Jardim Piratininga, ACETESP
Local: Auditório do Conselho Regional de Psicologia-CRP
Rua Arruda Alvim, 89 Pinheiros, Próx. Ao metrô clinicas
Horário:9:00 às 14:00

terça-feira, 22 de abril de 2008

Fórum sobre Cultura de Paz e Pedagogia da Convivência

Fórum internacional

Cultura de Paz e Pedagogia da Convivência

– ação e políticas públicas –

26 de abril de 2008 • MASP - Museu de Arte de São Paulo • das 9h às 18h30

Pela primeira vez na história as gerações mais novas detêm habilidades,
competências e conhecimentos que as mais velhas procuram alcançar – às vezes
com grande dificuldade. Pela primeira vez também a dinâmica social adquire um
caráter horizontal, e as relações não se articulam mais através de papéis
predeterminados – cada situação exige uma nova configuração no tabuleiro do
poder. Tudo está sendo revisado – oferecendo, provocando e exigindo novas
leituras, novas prioridades, novas escolhas e, igualmente, novas incertezas.

Como contextualizar o ensino / aprendizagem em uma realidade tão mutável? Que
repertório de valores podem integrar o sentir, o pensar e o agir? Como aliar
liberdade crescente com interdependência urgente? Qual o papel da escola e da
comunidade na orientação de significados que acolham as múltiplas dimensões
do ser, suas aspirações e potencial criativo? E como as políticas públicas
podem promover valores e ações para gerar alternativas de convivência?

Neste Fórum contaremos com as contribuições dos mais destacados pedagogos da
atualidade e, igualmente, personalidades comprometidas com o desenvolvimento
da Cultura de Paz em todos os setores da sociedade, nos quatro cantos do
mundo. Oportunidade singular de conferir avanços, descobrir espaços de
convergência e valorização do exercício democrático pois, nas palavras de
Nilson José Machado "A educação sempre será motivada pelo que é possível
imaginar e não apenas pelo que é possível imaginar como possível; nunca
poderá resumir-se apenas a utopias, mas jamais poderá prescindir delas".

9h30 – 10h30

Abertura a cargo da DRA. MARLOVA J. NOLETO

Moderadora: Lia Diskin – Co-fundadora da Associação Palas Athena

11h – 12h30 - Mesa 1

CULTIVAR A PAZ E EDUCAR PARA A CONVIVÊNCIA


Moderador: Prof. Dr. Carlos Emediato – Coordenador da Rede Global de Educação
para a Paz - REDEPAZ

14h - 15h30 - Mesa 2

CULTURA DE PAZ E POLÍTICAS PÚBLICAS – DESAFIOS ATUAIS

MINISTRO JOSÉ GREGORI

E DR. EDUARDO JORGE MARTINS ALVES SOBRINHO

16h - 17h30 - Mesa 3

EDUCAÇÃO PARA A PAZ, CIDADANIA E DEMOCRACIA

Moderador: Prof. Dr. Pedro Pontual – Coordenador do Instituto Pólis e
presidente do CEAAL Consejo de Educación de Adultos de América Latina

17h30 – 18h30 – Mesa 4

CENÁRIOS E HORIZONTES PARA A AÇÃO GLOBAL E LOCAL

PROFA. DRA. ROSE MARIE INOJOSA E PROF. HAMILTON FARIA

ROSE MARIA INOJOSA, é coordenadora da UMAPAZ – Universidade Aberta do Meio
Ambiente e da Cultura de Paz da Secretaria do Verde e Meio Ambiente de São
Paulo. Membro da Rede Ação pela Paz e da Rede Gandhi – Saúde Cultura de Paz e
Não-violência.

HAMILTON FARIA é poeta e professor universitário, coordenador do Instituto
Pólis, especialista em Políticas Públicas de Cultura, animador da Rede
Mundial de Artistas. Trabalha a Cultura de Paz em redes e fóruns de cultura
propondo a criação de Conselhos Municipais de Cultura de Paz e a sua inclusão
nas agendas públicas.

Manifestações artísticas:

Izabel Lima, atriz e arte-educadora com especialização pela ECA/USP; Diogo
Alvim Gonçalves, instrutor de Educação Gaia e da Carta da Terra na UMAPAZ;
Jovens do Grajaú, redes sociais que fortalecem a cultura de paz em cenários
de violência, e Rede Cultural Beija-Flor, jovens empreendedores atuando na
preservação dos riscos sociais de crianças, adolescentes e comunidades por
meio da arte, cultura, esportes e desenvolvimento local através de projetos
sociosambientais.

ENTRADA FRANCA

Serão entregues certificados

26 de abril de 2008 • sábado • das 9h às 18h30

Auditório do MASP • Museu de Arte de São Paulo

Av. Paulista, 1.578 - São Paulo - SP (Estação Trianon-Masp do Metrô)

Informações: Palas Athena (11) 3266-6188

Aula inaugural da Escola de Cidadania em Santos

Os organizadores da ESCOLA DE CIDADANIA DE SANTOS convidam para a aula
inaugural do Curso de "Formação de Lideranças Comunitárias para a
Cidadania", a ser proferida pelo Professor Plínio de Arruda Sampaio. O
tema da aula será: Desafios que se impõem à democracia na atualidade.

Data: dia 24 de abril de 2008 (5ª feira)
Horário: 19h30
Local: no Colégio Sttela Maris Av. Conselheiro Nébias, 771 Boqueirão -
Santos

Organizadores
Forum da Cidadania (CONCIDADANIA)
Universidade Católica de Santos (UNISANTOS)
FONE (13) 3228-8881

Oficina sobre Democracia Participativa

O Movimento Nossa São Paulo convida para a

Oficina "Democracia Participativa" – Dia 26/04/08 - sábado

Programação da Oficina: 

Início 9h00 – café

9h30 – 11h30 – apresentação do MNSP, dos objetivos da oficina, dos assessores, fala dos assessores e debates, preparação das oficinas: PDE geral, PDE regional, Conselhos Municipais, Conselhos de Representantes, Instrumentos de Democracia Direta.

(conforme interesse dos participantes)

11h30 – 12h30 – fim do debate em plenária e primeira parte dos trabalhos nas oficinas

12h30 – 13h30 – almoço – por conta dos participantes

13h30 – 15h00 – trabalho nas oficinas

15h00 – 15h30 – Café

15h30 – 17h30 – Plenário e Conclusão

              Local

              Casa da Cidade - Rua Rodésia, 398 Vila Madalena (próximo ao Metrô Vila Madalena)

Objetivo da Oficina: a Oficina tem por objetivo precisar informações e indicar canais de acesso que permitam o acompanhamento e a avaliação, por parte da população, ou da sociedade civil organizada, da ação, implantação e/ou execução dos seguintes instrumentos de participação no governo municipal:

·        Plano Diretor Estratégico: Cumprimento das metas do Plano Diretor e do programa de governo, isto é, o monitoramento das ações governamentais em relação ao Plano Diretor e ao Programa de Governo, segundo as metas estabelecidas.

·        Funcionamento dos Conselhos Municipais, isto é, o acompanhamento sistemático dos Conselhos segundo seus próprios critérios e regimentos de funcionamento, assim como de suas contribuições para as políticas municipais.

·         Implantação do Conselho de Representantes junto às subprefeituras da cidade de SP.

·         Utilização das instâncias de consulta popular direta, isto é, o monitoramento dos processos de funcionamento e informação, divulgação e convocação das instâncias de consulta popular     

     (plebiscito, referendo e iniciativa popular) na gestão pública.

Para cada um destes instrumentos a oficina deverá indicar ações para que se tornem mais efetivos e propostas concretas para o Fórum do Movimento (15 até 18 de maio) e para a cidade de São Paulo.

Assim a oficina responderá, em relação a cada um desses instrumentos, a duas perguntas:

1.    Quais informações e canais de acesso a elas são necessárias para que a população possa acompanhar e avaliar a efetividade do referido instrumento na gestão pública?

2.    Que ações se fazem necessárias paras que esses instrumentos se tornem mais participativos e tenham efetividade?

Inscrições gratuitas: através do telefone: 3894.2401

Vagas limitadas: 60 vagas

Carta Denúncia dos Indígenas do DF

Enviado por ACPI (Associação Cultural Povos Indígenas)
 
Denúncia de irregularidades no "PROJETO SETOR NOROESTE" ameaçando o Parque Nacional de Brasília, o equilibro ecológico de toda região da Bacia do Paranoá em Brasília, bem como sendo uma AGRESSÃO CONTRA OS DIREITOS INDÍGENAS declarados na CARTA DA ONU de 07 de Setembro 2007.
 
Vossa Excelência,
 
Ao tempo em que cumprimentamos respeitosamente Vossa Excelência, vimos por meio deste, solicitar apoio especial pelo Pedido de Investigação Internacional sobre irregularidades do Projeto Setor Noroeste, assim que de levar ao conhecimento de Vossa Excelência, os assuntos das seguintes relevâncias:
 
1. O Projeto Imobiliário do Distrito Federal, chamado "Setor Noroeste", com implantação prevista de 10.000 unidades habitacionais de alto Luxo (R$ 7.000,00 m2)? ameaça duas grandes reservas de proteção Ambientais, os Parques NACIONAL e o BURLE MARX, localizados na Asa Norte de Brasília.
 
2. Os processos normativos de licenciamentos estão apresentando irregularidades, nos conteúdos dos objetos legais bem como nos procedimentos de obtenção.
 
3. Existência de claros indícios de trafico de influencia, de corrupção das estruturas administrativas, de abuso da maquina do poder institucional pela manipulação da informação e pressão sobre órgãos gestores (Terracap e do IBAMA), irregularidades com recepção ilícita de fundos privados nas estruturas publicas, de irregularidades fundiárias como apropriação de terra pertencendo na união, irregularidades nas regras do sistema financeiro e de envolvimento de interesse das empresas do Vice-governador Paulo Octavio.
 
4. Existência de crimes raciais e de xenofobia, contra os povos Indígenas, de incitação ao racismo cultural cujas matérias vinculadas pela mídia pertencendo ao Vice governador Paulo Octavio são de ordens discriminatórias e caracterizam violação de direitos humanos.
 
5. Violação das condicionantes na captação de recursos internacionais (BID), pelo caráter de segregação de classes do projeto Setor Noroeste, agravando os índices da fratura social do Estado do DF.
 
Ficam a disposição, os documentos do bem fundado de nosso pleito, argumentando nossa Denuncia contra a administração do GDF.
 
Na certeza de que Vossa Excelência dispensará a este pleito uma particular acolhida e atenção, agradecemos antecipadamente.
Nossas respeitosas reverências.
 
ACPI .

I Fórum de ONG's em Guarulhos

I Fórum de Discussão sobre as ONGS em Guarulhos.
 
O primeiro encontro do Fórum acontecerá no dia 29/04, na terça-feira, das 15h às 17h, no auditório do Colégio Marconi em Guarulhos e as inscrições são gratuitas. 
 
No ano 2007, entre 05 a 09 de Novembro, o NAPP do Terceiro Setor e Responsabilidade Social do Projeto FAHOG em parceria com o Colégio Guglielmo Marconi, realizou a I Semana de Profissionalização do Terceiro Setor da Cidade de Guarulhos que teve como objetivo iniciar uma ampla articulação com vários segmentos da sociedade, comprometidos com a qualificação e transformação das ações sociais e ambientais na Cidade. Tiveram presentes mais de 70 lideranças, representando projetos de qualidade e sucesso na cidade; além da programação com especialistas na Profissionalização do Terceiro Setor, o evento contou com 10 mini-cursos de capacitação.
 
Os participantes do evento deliberaram a formação de um Fórum de discussão sobre a Profissionalização do Terceiro Setor.
 
O Fórum, é um espaço legítimo às demandas das lideranças sociais. O propósito, é que as organizações façam à auto-gestão desse fórum e este espaço se torne uma rede madura e forte, e consiga expressar o poder das ONGs junto ao governo; e completa: nossa meta sempre será a qualidade dos nossos serviços à comunidade"
 

I Encontro do Fórum Permanente do Terceiro Setor
Data: 29/04 – Terça-feira
Horário: 15h às 17h
Local: Auditório do Colégio Marconi



As reuniões do Fórum serão realizadas sempre na ultima segunda-feira do mês, nesse mês em especial será realizado na terça-feira devido o feriado, contaremos com a disponibilidade do Auditório do Colégio Guglielmo Marconi, equipado com Multimídia e com 120 assentos.
 
O Colégio está localizado à Rua João Romano, 14 – Vila Flórida e o Telefone para as inscrições no Fórum é (11) 6404-2188 r, 25 ou 11 83107960.
www.colegiomarconi.com.br

Lei para Combater a Corrupção Eleitoral

O Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral (MCEE) formado por
mais de 30 entidades nacionais, lançou, na semana passada, campanha para
recolher pelo menos um milhão de assinaturas para projeto de lei de
iniciativa popular visando garantir que políticos que renunciaram ao
mandato, para escapar da punição legislativa, ou que respondam a processos
criminais, não possam ser candidatos.

A intenção é agir rápido, conseguirmos até junho as assinaturas e fazer
aprovar a lei para que tenha vigência nestas eleições.

Anexo, segue o modelo do abaixo assinado para ser impresso e repassado
entre a família, amigos e entidades.

Caso seja mais fácil, remeter as folhas assinadas para Região Lapa,
Rua Afonso Sardinha, 62 CEP 05076-000.

Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral
www.lei9840.org.br


Sede das Comissões - OAB/SP -
Rua Anchieta 35 - 9º. Andar - Centro - São Paulo

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Acampamento Humanista - dias 26 e 27 de Abril

Nos dias 26 e 27, sábado e domingo, estaremos realizando o primeiro Acampamento Humanista em Caucaia, no estado de SP.
 
O acampamento será aberto a interessados em geral, bem diferente dos retiros de estudos tradicionais, que eram fechados só para os militantes e participantes ativos.
Será uma boa oportunidade para todos que têm interesse em conhecer mais sobre o Movimento, pois teremos alguns bate-papos, oficinas e seminários curtos de esclarecimento sobre o Humanismo e também com saraus, roda de violão, poesias, apresentações culturais, show de mágica, etc.
 
O ponto alto será no sábado, 19hs, onde estará passando o primeiro vídeo das transmissões mensais de SILO, e o tema sera o Humanismo como opção na sociedade atual.
Para esta primeira transmissão já estão confirmadas cerca de 140 pessoas, muitas de outras cidades e estados, e para o acampamento umas 15 pessoas, e vai rolar uma formação política-ideológica sobre o Humanismo.
Estaremos saindo as 11hs no sábado e retornando no domingo a tarde, a saída será da Toca do Humanismo, próx. ao metrô Ana Rosa.
 
Quem tiver carro pode ir direto ao local, neste link tem o mapa - http://www.parquecaucaia.org/mapa.asp
Quem estiver a pé, estamos alugando um microônibus para o dia, neste caso o custo será rateado.
 
Mais informações:
Confirmações com Vanessa
Fones: (11) 5082-3789 / 9409-6157
 
 
Saudações Revolucionárias!!!!

Encaminhamentos de SP - Campanha Pela Redução da Tarifa de Energia

Assembléia Popular: Mutirão por Um novo Brasil

Campanha pela Redução da Tarifa de Energia

Encontro Estadual São Paulo – 12 de abril de 2008

 

Plenária Final:

 

A.    Sistematização do debate dos grupos;
B.    Finanças;
C.    Calendário;
D.    Material;
E.    Organicidade.
 


A.           Sistematização do debate dos grupos:

 
A Campanha da Energia pode contribuir para o enraizamento da Assembléia popular? Como?
 
Sim, garantindo:
Que a campanha parta sempre da realidade local;
Que seja construída promovendo a unidade entre forças sociais;
O não vínculo às campanhas eleitorais;
A discussão sobre o modelo energético;
Um processo contínuo de formação a partir de Assembléias Populares; A metodologia da Assembléia Popular.
 
 
 
 
 
 
 
Quais os passos que devemos dar para iniciar a campanha em nossos bairros?
 
 
 
 
 
 
 
1.     Mapear e articular as forças locais, espaços, movimentos, e as parcelas mais pobres da população;
2.     Realizar Agitação e Propaganda (panfletagens, colagens, visitas "porta a porta" nos bairros, entre outras formas);
3.     Realizar a Assembléia Popular Local
   Explicar Assembléia Popular;   Explicar Campanha;   Organizar a entrega da auto – declaração;   Eleger a coordenação local da Assembléia Popular;
4.     Realizar Ato de Entrega descentralizado;
5.     Realizar a 2ª. Assembléia Popular Local, após 1 mês  de avaliação;
6.     Realizar Ato de Cobrança estadual;
7.     Realizar Assembléia Popular Estadual ou Plenária Estadual a fim de avaliar resultados e pensar continuidade do processo.
              
B.           Finanças:
 
 
 
 
 
 
Saldo / Orçamento:
A Assembléia Popular Estadual finalizou a campanha da Vale com o saldo de 14 mil reais negativos, portanto foi deliberado que toda nova arrecadação será dividida entre o pagamento da dívida e o material para a Campanha pela Redução da Tarifa de Energia.
O orçamento para a Campanha pela Redução da Tarifa de Energia, no intuito de atingir 1 milhão de pessoas, destas 100 mil nas Assembléias Populares foi cotado em 100 mil reais.
Como o valor para este orçamento não foi alcançado um segundo "plano", de caráter mais urgente foi traçado, com orçamento de 12 mil reais e a seguinte quantidade de material para o início da campanha: 100 mil panfletos, 15 mil cartazes e 3 mil cartilhas.
Propostas / Contribuições:
Bônus no valor de 10,00 reais a ser trabalhado durante a campanha;
Reforço / cobrança nos pedidos de contribuições a movimentos, organizações, sindicatos.
 Projetos.
 
 Doação de material. Exemplo resmas de papel;
Entidades que não tem receita se comprometeram com Bingos, Rifas, Pedágio (no caso de estudantes), etc.
Todas as organizações presentes se comprometeram a discutir com sua base qual possibilidade de contribuição, e a priori com a contribuição de 100,00 (cem reais).
 
 
 
 
 
 
 
 
C.           Calendário:
 
 
 
 
Abril e Maio = Agitação e Propaganda, Trabalho de Base e Assembléias Populares Locais;
10 a 13 de Junho
"Semana Estadual da Tarifa Social" = Atos locais para a entrega das auto – declarações;
Jornada de Lutas Nacional
28 e 29 de Junho = Plenária Estadual da Assembléia Popular ;
Junho e Julho = Assembléias Populares Locais para avaliação;
Agosto = Ato / Cobrança estadual
 
 
 
D.           Material:
 
 
 
Auto–declaração (em anexo);
Panfleto (será enviado em seguida);
Vides (3min) (na página da AP www.ciranda.net/assembleiapopular );
Cartilha atualizada, cartazes e DVD (20 mim) em andamento.
 
 
 
E.           Organicidade:
 
Coordenação da Assembléia Popular Estadual Ampliada:
Reuniões quinzenais, as quartas –feiras, no Sindicato dos Advogados, às 19 horas.
Próxima reunião: 30/04/2008
 
 
Coletivo sobre Trabalho de Base
Reuniões mensais, últimos sábados no mês, no Sindicato dos Advogados, das 9 às 12 horas.
Próxima reunião: 26/04/08
.

__,_._,___
 

Acompanhar este Blog

Blog do PH Copyright © 2009 Blog desenvolvido por AgenciaDigital.Org